Oportunidades com a  Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP).

O ano de 2018 e a Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP) tem tudo para ser um divisor de águas no mercado da beleza em geral e você precisa estar preparado para não deixar a oportunidade passar.

Neste artigo pretendo fugir de explicar a lei, me concentrando na parte prática, e de que maneira a oportunidade vai alcançar todos que estiverem atentos as mudanças.

Mas temos um artigo explicando a Lei, se você desconhece a lei clique aqui antes de continuar a ler o artigo.

O mercado tende a mudar de forma rápida para os salões.

Durante o ano de 2017, o primeiro ano da lei foi de aprendizado para toda cadeia do ramo da beleza. Surgiram muitas  dúvidas, receios e algumas experiências.

Muitos já visualizaram as mudanças que provavelmente devem acontecer no mercado e começaram 2018 implantando mudanças e se antecipando.

Uma das mudanças é que devem surgir grandes salões com um mix de serviços variados, pois muitos investidores enxergam um grande mercado, que consegue se segurar mesmo nos momentos de crise, conciliando também à uma segurança que a lei trouxe em relação a contratação de mão de obra.

A Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP) vai possibilitar que profissionais que tenham muita demanda se encorajem a crescer, pois em muitos casos o crescimento era meio contido com medo de passivos trabalhistas à longo prazo.

Outro modelo é quando dois ou mais profissionais de salões menores enxergarem que podem reduzir os custos fixos se unindo em um local ou espaço maior, rateando melhor seus custos e dessa forma agregar outros parceiros aumentando assim o faturamento,  qualidade e a variedade de serviços oferecidos a seus clientes.

Os Profissionais parceiros também irão direcionar o mercado.

Uma tendência crescente há alguns anos que deve ganhar mais força de agora para frente é a especialização dos profissionais, como exemplo os Experts em loiras, ruivas e morenas iluminadas.

Eles não irão mais ficar preso à um salão, uma cidade ou estado. São profissionais muito capacitados e com muitos seguidores em redes sociais e consequentemente uma demanda de serviços espalhados por todo Brasil.

Tendo a possibilidade de utilizar salões parceiros espalhados pelo Brasil e fechar 2 ou 3 dias de agenda em uma determinada cidade e sair de casa com receitas, despesas e lucro pré- definidos e o salão parceiro com uma nova  receita definida, levando novos clientes para seu espaço de beleza e capacitação para seus profissionais.

Uma outra forma que deve ser observada são profissionais que trabalham sozinhos e tem que cobrar escanteio e tem que correr e cabecear para o gol, ou seja, tem que fazer tudo, atender telefone, administrar,  fazer compras, ir ao banco, pagar boletos e deixar o salão fechado.

Este profissional terá que calcular todos seus custos, somar o tempo tomado por outras funções e verificar se não é negócio levar sua carteira de clientes para um salão maior e ter recepcionista, internet, caixa e profissionais de outras áreas da beleza que podem lhe trazer novos clientes.

E provavelmente irão surgir outras inúmeras variáveis de modelos de negócios com a  Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP).

Mas para estas mudanças haverá  necessidade de um novo modelo de gestão.

Para estes novos modelos de parceria, a mudança na gestão é o pilar que vai ligar todos estes personagens em torno de alguns objetivos, entre eles  podemos citar a redução de custos, a eficiência no trabalho e consequentemente um aumento na lucratividade.

Tipos de empresários 

  • Cabeleireiro e dono do salão – se for aquele apaixonado pela profissão e não abrir mão do atendimento necessariamente terá que colocar alguém na parte administrativa  ou delegar o atendimento a parceiros capacitados e focar no gerencial uma boa parte da carga horária.
  • Investidor – aquele que enxerga uma grande oportunidade de negócio mas não é da área, terá  que se cercar de dois tipos de profissionais o Parceiro para o atendimento e um para a parte administrativa com experiencia na área da beleza porque é um mercado com muitos detalhes e também pelo motivo que o parceiro não pode ter desvio de função segundo a Lei.

    “Art. 1º-C Configurar-se-á vínculo empregatício entre a pessoa jurídica do salão-parceiro e o profissional-parceiro quando: 

    I – não existir contrato de parceria formalizado na forma descrita nesta Lei; e 

    II – o profissional-parceiro desempenhar funções diferentes das descritas no contrato de parceria.” 

 

Tomar decisões com base em relatórios consistentes, podem fazer toda a diferença.

Um bom sistema de gerenciamento é essencial para o dia a dia do salão e também para armazenamento de informações que proporcionará relatórios mensais que auxiliarão nas tomadas de decisões, alguns exemplos de relatórios e de como ele pode ser utilizado:

  • Relatório de profissionais é possível notar quem está dando maior lucratividade, que tipo de serviço é seu forte e direcionar clientes novos para ele, se sua agenda já está quase com 100% de horários marcados no mês, deve se analisar contratar um profissional com as mesmas aptidões para atender a demanda ou elevar o preço devido a mesma.
  • Relatório de vendas home care, vai indicar os produtos mais vendidos e direcionar o que comprar.
  • Relatório de estoque, vai mostrar produtos que estão a muito tempo na prateleira comprometendo seu capital de giro e deve ser colocado em liquidação.
  • Relatório de agendamento, demonstra horários ou dias ociosos que  dá para fazer uma promoção .

Estes são alguns relatórios de muitos, que podem gerar  uma visão ampla do empreendimento e verificar acertos e principalmente falhas antes que as mesmas comprometam o salão como um todo.

Riscos a serem observados ao não cumprir a Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP).

A lei que veio facilitar a contratação de profissionais da beleza também tem regras que tem que ser observadas.

  • Obrigatoriedade de um contrato: é obrigatório ter um contrato firmado entre o salão e o profissional e o mesmo tem que ser registrado em um sindicato ou no Ministério do Trabalho.
  • Desvio de função: O profissional não pode executar funções que não estejam estabelecidas no contrato.

Sendo assim o estabelecimento que não se enquadrar na Lei estará sob risco de passivos trabalhistas ou seja o não cumprimento das regras coloca o profissional automaticamente com um vinculo trabalhista com todos direitos assegurados pela CLT e assim comprometendo em muito a porcentagem da receita que cabe ao salão.

 

E como os escritórios de contabilidade podem auxiliar neste novo modelo de gestão para os espaços de beleza.

Os escritórios de contabilidade podem ajudar nas partes de formalização, legalização dos salões e principalmente na gestão, contribuindo e muito para o seu negócio. A Rede Contábil está do lado de todos os profissionais e salões de beleza para poder auxiliá-los em relação às mudanças gerada pela  Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP).

Pacote de serviços para o Salão Parceiro

 

  • Abertura da empresa: organização de processos de abertura, desenquadramento do MEI para ME e um suporte inicial com a estruturação financeira do negócio.
  • Adequação para Lei salão parceiro profissional parceiro: estruturação e adequação do modelo atual para o novo modelo de parceria.
  • Contratos: digitação dos contratos entre o profissional e o estabelecimento de forma online e rápida e registro no sindicato ou no Ministério do Trabalho conforme estipula a Lei.
  • Comissões: através de sistema de gestão online é realizado os calculos de comissões e impostos, o recibo para pagamento e a guia para recolhimento é enviado por uma plataforma online.
  • Economia tributária: separação da receita do Parceiro e do Salão, evitando a dupla tributação.
  • Visão ampla do negócio: através de relatórios por área, o administrador pode tomar decisões importantes e estratégica de seu negócio.
  • Consultoria: o papel do contador não é somente emitir guias e sim gerar informações e simplificá-las para o entendimento do cliente, auxiliando da melhor maneira.
  • Comunicação: estamos sempre buscando maneiras de estar em contato com o cliente sempre que necessário e temos uma plataforma online que possibilita recebimentos e envios de documentos de forma objetiva e vários canais de atendimento.
  • CLT: e como nem todos estão enquadrados na nova Lei, oferecemos tudo que é necessário para registros, folha de pagamento, encargos para colaboradores enquadrados na CLT.

Como podemos auxiliar o parceiro com a Lei Salão Parceiro Profissional Parceiro (SPPP)

  • MEI: Abertura e regularização;
  • Empresário Individual: Organização dos processos de abertura;
  • Nota Fiscal: Auxiliar na emissão de nota fiscal de serviço (obrigatória);
  • Contratos: redigir contratos ou verificar a adequação de contratos de terceiros;
  • Recalculo de comissões: recalcular a comissão passada pelo salão.

E assim, acreditamos que nossos parceiros estarão sempre focados no que fazem de melhor, que é atender bem seu cliente e consequentemente aumentar suas receitas sabendo que tem na Rede Contábil um parceiro sempre em busca de facilitar a parte burocrática do negócio.

Entre em contato que um de nossos consultores, ele terá o prazer de agendar uma reunião e uma consultoria prévia e explicar tudo com mais detalhes.

CLICK AQUI E AGENDE UMA DEMONSTRAÇÃO

 

 

 

Comentários