Como calcular o custo e os preços dos serviços em salão de beleza?

Parece difícil responder essa pergunta que é comumente tratada nos cursos de beleza e estética, normalmente a resposta é “coloca três vezes o valor do produto”, e muitos profissionais utilizam esta metodologia por toda vida sem realmente saber o custo .

Existem maneiras mais eficientes de chegar a um preço de venda adequado ao mercado e justo.

Mesmo porque hoje quando montamos um salão de beleza , temos alguns custos que não existiam até pouco tempo atrás, como exemplo podemos citar o Wi-Fi, ar condicionado, publicidade em redes sociais, taxas de cartão de crédito entre outros que trazem comodidade e fazem diferença para o cliente.

Tudo isto acaba influenciando na lucratividade do salão, sendo assim vou explicar o que deve fazer parte do seu preço final.

Receba uma planilha gratuita para auxilia-lo nos cálculos.

 

Primeiro alguns termos que você deve conhecer.

  • Custos fixos

São aqueles valores pagos mensalmente, não importando se o movimento foi bom ou ruim estas contas permanecem estáveis.

Exemplo de custos fixos: (Aluguel, salário fixo de auxiliares, recepcionistas entre outros).

  • Custos variáveis

São aqueles que aumentam ou diminuem proporcionalmente pela quantidade de serviços prestados.

Exemplo: (energia elétrica, água, comissão dos profissionais e taxa do cartão de crédito)

  • Pró-labore

O pró-labore é parte fundamental dos seus custos, ele é o salário do gestor do salão. Mesmo que você seja o cabeleireiro deve fixar um valor de retirada mensal pelo seu trabalho que não está relacionada diretamente com o cliente, que é a parte administrativa do salão, aquele momento que todos vão embora e você tem que fazer suas contas, verificar o estoque entre outras coisas.

Você que é proprietário e acumula a função de cabeleireiro, manicure ou outra função, deve se imaginar com três rendimentos, o pró-labore por administrar o salão, a comissão pelo atendimento do cliente e o lucro que vou explicar mais adiante.

  • Depreciação: é a desvalorização relacionado aos seus equipamentos utilizados no dia a dia.

Exemplo: Um secador de cabelos que tem uma vida útil de 1 ano e custa R$ 480,00, dividindo este valor pelos 12 meses chegará ao resultado de R$ 32,00, este valor é um custo mensal na sua operação, porque daqui um ano provavelmente vai ter que investir em outro.

  • Produtos: devem ser tratados como custos variáveis, mas sempre em um grupo separado.

Eles são utilizados de uma forma ou de outra em todos tipos de procedimentos, as vezes uma quantidade mínima, no caso de esmaltes, shampoo do lavatório e condicionador e em outros casos influenciam muito no preço final.

Para diferenciá-los podemos tratá-los por produtos de uso geral e produtos

de uso especifico.

Diferença de margem de lucro e lucro líquido 

  • Margem de Lucro

É o percentual aplicado ao custo total para definir o lucro que se deseja alcançar com aquele serviço.

  • Lucro Líquido

É o resultado da soma de todas as receitas (entradas) deduzidas de todas às suas despesas e custos (saídas).

Desperdício: o que vai pelo ralo do lavatório faz muita diferença. 

Balança de precisão com produto para auxiliar no custo

Balança de precisão

 

Você profissional que trabalha com linhas de produtos de qualidade, sabe o quanto custa uma linha de progressiva, um pó descolorante de qualidade e uma hidratação profunda. 

E imaginam que por traz deste produto as empresas tem grandes profissionais para elaborar o produto final que vai para seu estabelecimento, para você chegar no lavatório colocar uma quantidade qualquer na palma da mão e realizar a aplicação na cabeça da cliente.

Sendo assim você está pagando pela tecnologia empregada, tem o direito de questionar o fabricante, a quantidade de produto que deve utilizar em cada tipo de cabelo para não desperdiçar e não faltar para comprometer a qualidade do serviço.

Partindo desta pesquisa, é fundamental você adquirir uma balança de precisão, que nos dias de hoje você encontra por R$ 100,00, não tenho dúvida que você economizará em produtos este valor antes de vencer a primeira promissória.

Se partirmos do princípio de que você gasta R$ 1.000,00 de produtos mensais e o desperdício vai chegar por volta de 15% ao ralo do lavatório, você pagará a balança no primeiro mês e aumenta sua lucratividade em R$ 50,00 só nesta ação.

Continuando nesse raciocínio nos próximos 12 meses a economia seria de R$ 1.800,00, quase dois meses de produtos.

E de maneira nenhuma estamos falando em levar a economia do produto ao extremo, somente em utilizar o necessário para um serviço de qualidade.

Como chegar ao preço de venda

Agora que já vimos os principais termos, vamos começar a calcular o preço final de seus serviços. Estamos dando atenção a serviços porque na maioria das vezes os produtos da linha home care já vem com um preço sugerido.

Exemplo: Serviço de escova progressiva em um salão de pequeno porte onde o proprietário (a) administra e é o profissional responsável pelos serviços, com faturamento mensal de R$ 10.000,00.

1° passo – Calcular os custos fixos.

O custo fixo para se ter uma maior exatidão deve ser feito pelos últimos 12 meses, neste exemplo faremos por um mês para ficar mais fácil a compreensão e para leitores que não tem dados dos últimos 12 meses. Para os que desejam fazer com base nos últimos 12 meses, somar as despesas e receitas do ano anterior.

Aluguel – R$700,00

Pró-labore R$1.500,00

Depreciação – R$ 250,00 (supondo um gasto de R$ 6.000,00 em equipamentos e que em média eles durem 2 anos – R$ 6.000,00/24 meses = R$ 250,00.

Total de custos fixos = R$ 2.450,00 ou 24,5%.

Para que seja calculado o percentual do total dos custos fixos foi realizado o seguinte raciocínio:

Dica: mantenha os custos fixos sempre baixos, pois sempre se têm um grande impacto durante oscilações de mercado, caso seu faturamento venha à cair, os custos fixos se manterão os mesmos.

2° passo- Calcular custos variáveis

Antes de detalhar os custos variáveis vamos dar uma atenção especial à energia elétrica e a água.  São custos variáveis do salão com muito reflexo no custo final e difíceis de serem mensurados por serviço, sendo assim utilizaremos a fatura do mês anterior, com um total de R$ 350,00 (energia elétrica + água), seguindo o padrão utilizado nos custos fixos.

  Sendo assim, para facilitar, somaremos a porcentagem dos custos fixos a energia e água e teremos um total de 28% (24,5% +3,5% = 28%).

Vamos aos custos variáveis.

1 -Produto = R$ 35,00

Seguindo a orientação do fornecedor vamos dividir o total do produto pela quantidade de aplicações em um cabelo médio, ou seja, 1000 ml / 20 = 50 ml de produto por cliente.

Para o valor a conta é parecida, dividimos o valor do produto (R$ 700,00) pela quantidade que é 20 (R$ 700,00/20=R$ 35,00) e chegaremos a um valor de R$ 35 reais por aplicação.

Observação; como geralmente no caso da progressiva vem o kit completo, não é utilizado produtos de lavatórios como Shampoo e condicionador se mantem este valor.

Mas quando houver necessidade de utilização de um segundo produto que reflita no preço o mesmo deve ser adicionado como no caso de OX , mascaras matizadoras e no caso de linha lavatório colocar 20% sobre o produto já resolve .

      2 – Mão de obra = R$ 70,00

A mão de obra deve ser calculada pelas horas gastas naquele procedimento, caso o proprietário seja o cabeleireiro ele deverá saber qual o valor de sua hora trabalhada. Em nosso exemplo colocaremos R$ 35,00 por hora.

3°- Passo -Calcular o custo total do serviço

Soma-se todos os custos variáveis, que nesse caso serão os custos com produtos (R$ 35,00) e a mão de obra (R$ 70,00).

Custos Variáveis totais= R$ 105,00

Esse será seu custo total – R$ 134,40

Margem de lucro

A partir do custo total unitário incluiremos a margem de lucro desejada e planejada para o bom funcionamento e desenvolvimento do salão.

Além do planejamento o proprietário deve ficar atento ao mercado e a demanda, porém muito cuidado com o mercado.

Caso você mantenha preços sempre iguais ao de um concorrente próximo e não de acordo com o apropriado para o seu negócio, o concorrente acaba controlando sua empresa sem entrar nela.

Por isso fique sempre com um olho no mercado e outro nos seus custos para que sua margem seja sempre favorável ao seu negócio.

Neste exemplo a margem de lucro será de 25%.

Para o cálculo do preço de venda existe uma fórmula simples:

Depois só dividir o custo total pelo FATOR (resultado) e teremos o preço de venda:

 

Agora veremos como ficará a distribuição deste valor:

Como pode ver a mão de obra representa 39,06% o Pró-labore 8,79% e lucro 25%.

A soma destes itens representa 72,85% em valores R$ 130,55, ou seja, nestes três itens você pode alterar para maior em caso de muita demanda ou para menor em caso de pouca demanda.

Comissão para os parceiros

Observação: neste exemplo estamos colocando que o proprietário faz todo o serviço, se houver colaboradores que utilizem a nova Lei 13.352 “Salão Parceiro -Profissional Parceiro” é só encontrar o valor de venda e colocar a comissão sobre ele.

Exemplo: Caso o percentual firmado em contrato seja de 35% de participação para o parceiro é só multiplicar pelo valor de venda já alcançado

Quando deve ser feita a retirada do lucro.

Acredito que dessa forma você consiga ver um ponto fundamental para uma boa administração, você terá três fontes de rendimento, uma como administrador, outra como cabeleireiro e ainda uma terceira que será o lucro.

O lucro que durante este período ficará retido na empresa para a apuração do final do exercício, onde aconselho que faça apenas uma retirada anual (após a apuração) para que possa visualizar melhor seus resultados e saber onde será necessário reinvestir para um melhor desenvolvimento do seu negócio.

 

 

Receba uma planilha gratuita para auxilia-lo nos cálculos.

 

 

 

 

Comentários